Skip to main content

Benefícios do aquecimento

 

 

         São muitas as indagações relacionadas à atividade física. Uma questão bastante comentada pelas pessoas mais velhas é com relação ao aquecimento antes e depois da atividade física.

 

        Sabe-se que muitos idosos não realizam ou dão pouca importância aos momentos que antecedem as aulas propriamente dita, ou seja, não fazem o aquecimento antes da modalidade de atividade física escolhida para se movimentar.

       Por esse motivo e também por conhecer a importância de tal atividade é que nos propusemos a mostrar o real sentido de se realizar um bom aquecimento.

Porque realizar aquecimento?

O aquecimento é feito com exercícios ativos (bicicleta, caminhada, alongamento, exercícios de relaxamento, etc.). A sua prática visa à obtenção do estado ideal, físico, emocional e psíquico como preparação para a atividade física prevenindo lesões e possíveis acidentes.

Para Powers e Howley (2000), o aquecimento com exercícios leves e de alongamento são realizados para melhorar a transição do estado de repouso para o de exercício.

Segundo Weineck (1999), o aquecimento tem a função de determinar o desempenho de cada sistema funcional e de estabelecer o momento adequado para o seu funcionamento, a fim de que o organismo possa atingir o seu desempenho máximo. Além disso, ao atingir a temperatura corporal ideal, as reações fisiológicas importantes para o desempenho motor ocorrem nas proporções adequadas para aquela determinada atividade.

Um dos objetivos do aquecimento é o aumento da temperatura corporal que contribui para diversos efeitos positivos no corpo.

De acordo com Mc Ardle (1998), o aquecimento deve ser gradual e suficiente para a temperatura muscular e central, sem causar fadiga e nem reduzir as reservas de energia.

Podemos destacar:

  1. A velocidade do metabolismo aumenta em função da temperatura corporal, 13% para cada grau. Isso permite aumentar a redistribuição do sangue e o aumento da irrigação dos músculos em que garante um melhor suprimento de O2 e substratos aos tecidos;

  1. Aumento da excitabilidade do SNC (Sistema Nervoso Central) resultando em uma maior velocidade de reação de contração e um melhor desempenho na coordenação e estímulos a respostas;

De acordo com Weineck (1999), o aquecimento leva a um aumento da capacidade de desempenho físico em que provoca uma ativação de estruturas do SNC (sobretudo da formação reticular e conseqüentemente do estado de alerta e da atenção, o que resulta numa melhoria do desempenho). Este estado de vigilância favorece o aprendizado técnico, a capacidade de desempenho em coordenação e a precisão de movimentos.

  1. A musculatura, os ligamentos e tendões tornam-se mais elásticos em função de um aumento de temperatura. Deste modo, o corpo previne-se de lesões e acidentes musculares;

  1. O aquecimento aumenta a resistência das articulações. A atividade física aumenta a produção de líquido sinivial (líquido que lubrifica as articulações) tornando a articulação mais resistente à força e a pressão;

  1. O aquecimento possibilita que o sistema cardiorespiratório aumente seu desempenho em função do volume respiratório e do aumento do debito cardíaco (volume de sangue bombeado pelo sangue).

Segundo WILMORE e COSTILL (2001) o período de aquecimento aumenta tanto a freqüência cardíaca quanto a respiratória, preparando o corpo para um funcionamento eficiente do coração, dos pulmão e dos músculos.

O tempo de aquecimento e sua intensidade vária com a idade quanto mais velha a pessoa, mais cuidado, gradual e mais longo deve ser o aquecimento. Com o tempo a musculatura torna-se menos elástica e mais suscetível a rupturas e a lesões. Por isso o aquecimento antes da Atividade física é importante.

De acordo com HOLLMANN/HETTIRGER (apud Weineck, 1999), o aquecimento de pessoas jovens e velhas está compreendido entre 10 e 60 minutos para prevenir o corpo de acidentes e a profilaxia de lesões.

Segundo WILMORE e COSTILL (2001), as sessões de exercícios deve iniciar com exercícios calistemicos e de alongamento de baixa intensidade, como caminhada ou jogging leve. Um aquecimento aceitável deve começar com um período de 5 a 10 minutos de alongamento, seguido por um tempo de 5 a 10 minutos de atividades de baixa intensidade.

Ao final da atividade física a caminhada lenta e tranqüila durante vários minutos ajuda a impedir o acumulo de sangue nas extremidades. A interrupção abrupta após um período de exercício acarreta acumulo de sangue nas pernas, podendo resultar em vertigens e ou desmaios.

Para Powers e Howley (2000), a duração do aquecimento pode ser de 5 a 20 minutos, dependendo das condições ambientais, da idade, do nível de condicionamento físico e do tipo de atividade do treinamento.

No final de uma sessão, são recomendados cerca de 5 a 30 minutos de atividade de resfriamento, retorno do sangue “acumulado” nos músculos esqueléticos que se exercitaram à circulação central, caminhadas lentas e exercícios de alongamento, para que haja um retorno gradual da Freqüência Cardíaca e da Pressão Arterial aos níveis normais.

 

 

 

Referência Bibliográfica

MC ARDLE, William D.; KATCH, Frank I.; KATCH, Victor L. Fisiologia do exercício: energia, nutrição e desempenho. 4. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1998. 695p.

POWER, Scott K.; HOWLEY, Edward T. Fisiologia do Exercício: teoria e Aplicação do condicionamento e ao desempenho. 3. ed. Barueri-SP: Manole, 1999. 527p.

WEINECK, Jurgen. Treinamento Ideal. 9. ed. São Paulo-SP: Manole, 1999. 740p.

WILMORE, Jackh; COSTILL, David L. Fisiologia do Esporte e do Exercício. 2.ed. Barueri-SP: Manole, 2001. 710p.

 

Glênio Fernandes Leite

Graduado Educação Física

Imagem: