Skip to main content

Condições de Merecimento e Qualidade de Vida Interior

       Segundo o dicionário eletrônico Houaiss (2002), tempo significa duração relativa das coisas que cria no ser humano a idéia de presente, passado e futuro, ou oportunidade para a realização de alguma coisa. E qualidade significa propriedade que determina a essência ou a natureza de um ser ou coisa; característica inerente. Quero unir esses significados para pensar sobre a necessidade de sabermos avaliar a nós mesmos naquilo que produzimos ou realizamos na vida. Essa avaliação pode envolver a aparência do que somos e fazemos, mas deve envolver também a essência de nosso ser. Aparência e essência são palavras muito importantes para nosso desenvolvimento pessoal, quando conseguimos combiná-las bem em nossa vida. Essa combinação dependerá, em parte, do modo como avaliamos a nós mesmos e nossas realizações, e o que pensamos ser necessário ou essencial para nosso crescimento pessoal ou interior.

       Nesse caso, às vezes paramos para certos “balanços” de vida: do que somos e fizemos até hoje, e do que pretendemos ser e fazer com o tempo de vida presente ou futuro. Nesses momentos, pensamos nossas relações com a família, o trabalho, os estudos, o lazer, o amor, com a vida social, etc. Olhamos muito para o que realizamos nessas relações e para nossa própria existência dentro delas. Esses “balanços” de vida são necessários psicologicamente. Por isso, reunindo os significados de tempo e de qualidade , quero convidar o leitor a usar o tempo da vida em que você faz um balanço sobre ela, para realizar alguma coisa em si mesmo com relação à sua própria essência ou àqueles princípios e valores que guiam seus pensamentos e ações, sua visão de si e de mundo. Nesse caso, quero falar sobre como costumamos avaliar nossas realizações no mundo, não apenas como profissional, cônjuge, pai, mãe, filho, etc, mas também o que fazemos com nossa auto-realização pessoal nessas realizações, que muitas vezes não dependem diretamente da aparência que o mundo costuma imprimir à nossa vida, mas ao que queremos buscar para um crescimento pessoal.

       Geralmente, nessas avaliações, buscamos o mérito naquilo que fazemos. O merecimento diz se algo tem valor, importância, se é digno, recomendável, etc. O reconhecimento de nossos méritos é uma coisa que sempre buscamos na vida e nas avaliações que fazemos sobre nós mesmos. É bom sermos reconhecidos naquilo que fazemos, com mérito. Mas, que méritos ou merecimentos temos considerado para nossa vida? Que condições de merecimento têm dado base à nossa realização pessoal? Essas condições realmente têm nos feito uma pessoa melhor? Realizações podem ocorrer de muitas maneiras, sob muitos méritos e condições de merecimento. Mas, quero pensar sobre a qualidade dos méritos que elegemos ou adotamos para construir nossa vida, e nossas realizações pessoais e sociais. Os critérios que costumamos utilizar para avaliar nossas realizações pessoais.

       O ser humano é um bem precioso, cujo valor somente pode ser entendido quando consegue ver ou compreender como a vida é preciosa. Mas essa preciosidade também pode ser lustrada ou ofuscada pelas condições de merecimento que as pessoas adotam e usam para avaliar o que pensam ser e fazer na vida em geral. Assim sendo, é importante a compreensão que temos sobre os tipos de condições de merecimento que costumamos medir a nossa vida e nossas realizações.

       Quero dizer ao leitor que algumas condições de merecimento sociais, externas, às vezes se parecem com as marcas nas embalagens de produtos em supermercados: rótulos . Precisamos saber separar e identificar a qualidade dos merecimentos em nossa vida, e o que realmente eles podem trazer pra a qualidade de nossa vida interior. Nesse caso, pensar os motivos que usamos para justificar nossas realizações pessoais e sociais, pode nos ajudar a verificar sobre que condições de merecimento temos pautado nossa vida, e se elas tem nos feito realmente bem.

       A vida é o maior presente que recebemos. O contrário também é verdadeiro: somos o maior presente para a vida. Para compreendermos isso, é preciso pensar nas condições de merecimento que temos colocado ou creditado ao nosso ser e fazer, e também aos outros. Merecimento é uma palavra importante para a vida exterior e interior. Existem muitos tipos de méritos pela vida afora, mas convido você a pensar se por eles você tem conseguido prestar verdadeiro valor ao que você é enquanto ser, enquanto pessoa, enquanto vida. E se por meio deles você também tem dado o devido valor à vida do próximo. Isso envolve muitas questões que somente você pode definir para si mesmo. Dentre todas essas questões, convido-o a pensar que o modo como nos avaliamos e os merecimentos que buscamos para a vida são componentes psicológicos importantes para uma qualidade de vida interior, para realizações realmente importantes e para uma convivência saudável com os outros. O respeito a si e ao outro, também é um caminho de realização pessoal. É preciso encontrar um tempo de reflexão para esse tipo de “balanço” e avaliação pessoal na rotina de nossas vidas.

 

 

Ruben de Oliveira Nascimento

Professor de Psicologia da Educação do Instituto de Psicologia da UFU.

Imagem: