Skip to main content

Hidroginástica

Hidroginástica

Como o nome já diz, hidroginástica é a ginástica na água. Ela se diferencia das outras atividades por trazer vários benefícios devido às propriedades físicas que a água oferece.

Bonachela (1994) classifica as propriedades físicas da água em densidade, flutuação, pressão hidrostática e viscosidade, como:

Densidade: é a relação entre massa e volume (D= m/v);

Flutuação: de acordo com o princípio de Arquimedes, quando um corpo está completo ou parcialmente imerso em um líquido, ele sofre um empuxo para cima igual ao peso do líquido deslocado. Este empuxo atua em sentido oposto à força da gravidade;

Pressão Hidrostática: a Lei de Pascal, afirma que a pressão do líquido é exercida igualmente sobre todas as áreas da superfície de um corpo imerso em repouso, a uma determinada profundidade;


Viscosidade: é o tipo de atrito (fricção) que ocorre entre as moléculas de um líquido que oferece resistência ao movimento da água em qualquer direção, provocando uma turbulência maior ou menor de acordo com a velocidade que executamos o movimento, quanto mais rápido o movimento, maior será o arrasto.

Para (Rocha, 1994; Bonachela, 1994; Marques & Pereira, 1999), as propriedades físicas da água irão auxiliar, ainda mais os idosos, na movimentação das articulações, na flexibilidade, na diminuição da tensão articular (baixo impacto), na força, na resistência, nos sistemas cardiovascular e respiratório, no relaxamento, na eliminação das tensões mentais, entre outros.

De acordo com Pires et al. (2002, p.2), "com o declínio gradual das aptidões físicas, o impacto do envelhecimento e das doenças, o idoso tende a ir alterando seus hábitos de vida e rotinas diárias por atividade e formas de ocupação pouco ativas. Os efeitos associados à inatividade e a má adaptabilidade são muito sérios, pois podem acarretar numa redução no desempenho físico, na habilidade motora, na capacidade de concentração, de reação e de coordenação, gerando processos de auto-desvalorização, apatia, insegurança, perda da motivação, isolamento social e a solidão".


Segundo Meireles (1999) o processo de envelhecimento começa desde a concepção, então a velhice, é um processo dinâmico e progressivo em que há modificações tantos morfológicos como funcionais, bioquímicas e psicológicas que determinam a progressiva perda da capacidade de adaptação ao meio ambiente, ocasionado uma maior incidência de processos patológicos.

A atividade física agirá positivamente a nível cardiorrespiratório e também nos sistemas e órgãos. Uma boa manutenção da massa muscular e óssea na terceira idade será imprescindível para uma autonomia de vida e para que o idoso continue produzindo e realizando suas tarefas diárias. Para Otto (1987) se quisermos saúde devemos desenvolver uma filosofia de vida voltada para as atividades físicas que devem fazer parte do nosso dia a dia.

Segundo Leite (1996) o treinamento físico pode imediatamente produzir uma profunda melhora nas funções essenciais para aptidão física do idoso colaborando para que haja menor destruição de células e fadiga, e o segredo de uma vida longa e sadia é, na verdade, uma fórmula simples, que combina a relação apropriada dos ancestrais, boa sorte e em grande parte adoção de um estilo de vida sadio. Contudo pode-se observar um ciclo vicioso, pelo qual o envelhecimento está associado a uma redução na atividade física. Com a inatividade ocorrem as seguintes modificações funcionais:

•  Aptidão física reduzida;

•  Perda dos reflexos posturais;

•  Metabolismo lipídico alterado;

•  Balanço nitrogenado negativo;

•  Perda de massa óssea;

•  Extração de cálcio (osteopenia).

Muitas são as atividades físicas que podem ser indicadas para a terceira idade, principalmente a hidroginástica por ser uma atividade que causa um baixo impacto nas articulações e ajudará tanto a nível cardiorrespiratório como para uma tonificação muscular. Segundo Bonachela (1994) a hidroginástica é um programa ideal de condicionamento levando a uma boa forma física, tendo como objetivos, melhora da saúde e do bem estar físico-mental.

A prática da hidroginástica, proporciona ao idoso uma melhora na qualidade de vida, devido aos vários benefícios que ela oferece, tais como:

Acréscimo anatomo-fisiológico - há um aumento da amplitude articular, força muscular, densidade óssea, consumo máximo de oxigênio (VO2máx.), tolerância à glicose e da sensibilidade à insulina, um menor risco de problemas articulares, uma diminuição da freqüência cardíaca basal, pressão arterial e tensões do dia-a-dia, um relaxamento muscular, uma desintoxicação das vias respiratórias, um controle do peso corporal, uma melhora da circulação periférica, funções orgânicas e dos sistemas cardiovascular e cardiorrespiratório;

Melhora das capacidades físicas - aumento da coordenação, da agilidade, da sinestesia, da percepção, do esquema corporal, da velocidade de ação reação, melhora do equilíbrio, da direcionalidade;

Aspecto sócio-afetivo - acréscimo da auto-estima, auto-confiança, independência nas atividades diárias, reintegração, sociabilização, bem-estar físico e mental, diminuição da ansiedade, e da depressão, tornam-se valorizados, mais participativos e ativos de programas de lazer e com mais vontade de viver.

Capacidade cognitiva - "trabalhos científicos americanos, envolvendo grande número de idosos divididos em dois grupos, sedentários e esportistas, mostraram um QI (quociente de inteligência) maior nos idosos que fazem programas regulares de atividade física. A explicação pode estar na maior irrigação sangüínea de todo o corpo, que evidentemente também atinge o cérebro. Outra explicação seria pela liberação de adrenalina, pelas glândulas supra-renais, a qual é responsável por sensações de alerta no cérebro". Oliveira (1996, p.15).

O programa de aulas da hidroginástica do AFRID – Atividades Físicas e Recreativas para a Terceira Idade, possui exercícios adaptados para atender as decorrentes modificações do processo de envelhecimento.

Por meio dos vários equipamentos e materiais disponíveis pelo AFRID, as atividades aquáticas são bastante diversificadas, pois possui uma equipe qualificada de estagiários aptos a trabalharem com as diferentes aparelhagens e atenderem a diversidade de situações e necessidades do público participante do programa.

As aulas são bastante animadas e divertidas, visto que o programa, de forma geral, busca proporcionar atividades recreativas como jogos e brincadeiras fora e dentro da água; atividade de sociabilização realizada em grupo; exercícios de alongamento para ganho de flexibilidade e de mobilidade; e atividades de relaxamento para diminuir as tensões musculares e mentais.

Portanto, a hidroginástica é uma atividade física que torna o idoso mais apto e mais saudável, uma vez que possui um caráter de prevenção patológica e de independência pessoal na vida cotidiana o que proporciona uma melhora na qualidade de vida para esta faixa etária.

 

Lorena Pontes Pimenta Assis,

estagiáriada hidroginástica do AFRID

aluna curso Educação Física da UFU

 


 

 

 

 


 

 

AttachmentTamanho
SAM_1084.JPG2.64 MB